As novidades eletrônicas para os mais velhos

Na CES, de leitores portáteis acionados por comando de voz a tecnologia para reconhecer falas com diferentes graus de comprometimento Em edição virtual este ano, ocorrida em meados do mês, a CES (Consumer Eletronics Show), feira internacional...

As novidades eletrônicas para os mais velhos

Na CES, de leitores portáteis acionados por comando de voz a tecnologia para reconhecer falas com diferentes graus de comprometimento Em edição virtual este ano, ocorrida em meados do mês, a CES (Consumer Eletronics Show), feira internacional de eletrônicos que existe desde 1967, ampliou a tendência que já estava presente em 2020, com a oferta de produtos voltados para o mercado da longevidade. Os sensores, capazes de monitorar o estado do idoso, prevenir acidentes e comunicar quedas, continuam em alta, mas há novidades para superar limitações e dar qualidade de vida aos mais velhos. O Voiceitt, que recebeu um prêmio de inovação no evento, tem uma tecnologia para reconhecer falas com diferentes graus de comprometimento. Dessa forma, portadores do problema – como pacientes que sofreram um derrame ou tenham Doença de Parkinson – podem ser compreendidos ou acionar aparelhos que funcionam à base de comando de voz, como o Alexa. OrCam: leitor acoplado aos óculos e acionado por comando de voz captura a imagem de textos e comunica as informações de um jeito audível Divulgação Na coluna que fiz ano passado, já tinha citado uma empresa que vem aumentando sua participação no setor. A OrCam, que oferece leitores portáteis acionados por comando de voz, vem sendo considerada um divisor de águas para quem tem algum tipo de deficiência visual ou mesmo dislexia. Trata-se de um sensor ótico que pode ser acoplado a qualquer tipo de óculos. Ele captura a imagem de textos de um livro, ou smartphone, e comunica as informações por áudio. Nobi: sistema inteligente de iluminação que vai sendo calibrado com a movimentação do indivíduo Divulgação O arsenal de sensores de queda, no formato de pulseiras ou pingentes, é relativamente diversificado, inclusive no Brasil. No entanto, muitos idosos rejeitam usar o equipamento que, na sua opinião, passa uma ideia de fragilidade e dependência. Há alternativas mais sofisticadas que monitoram todo o ambiente doméstico: a Nobi Smart Lamp, cujo vídeo de demonstração pode ser conferido aqui, foi um dos lançamentos da CES. Trata-se de um sistema inteligente que vai sendo calibrado com a movimentação do indivíduo: se ele se senta na beira da cama, a iluminação é reduzida, apenas com o objetivo de evitar a sensação de desorientação. Caso se levante e comece a caminhar, a luz se intensifica. Se o dispositivo detecta uma queda, faz a pergunta: “você caiu?”. Se a resposta não for um “não” com todas as letras, imediatamente faz contato com alguém de confiança ou com um serviço de emergência. Detalhe: Nobi também destranca a porta. Vale lembrar que cerca de 646 mil pessoas morrem por ano em consequência de quedas.